eYeka's Community Blog

Follow the community announcement

Our team of dedicated community managers share the big news of the community and eYeka. Learn more and comment about the best creators, the new contests on eYeka and what happens with your ideas after the end of the contests.

Stay updated, follow us:

Feliz mês de dezembro: descubram Giulia, nossa criadora do mês!

By Natasha Miller on 05 de Dezembro de 2017, 07:00 Featured Authors 0

Olá, eYeka!

Como Andy Williams nos disse um milhão de vezes, esta é a mais maravilhosa época do ano. Esperamos que vocês estejam prontos para comemorar, quer você creia ou não, que simplesmente curtam as maravilhosas vibrações e as lindas luzes! E como gostamos de terminar o nosso ano da melhor maneira possível, gostaríamos de apresentar a vocês nossa linda criadora do mês: Giulia! Vamos conhecê-la um pouco melhor.

Olá, Giulia! É um prazer receber você neste mês de dezembro!

Você poderia nos falar um pouco sobre você…

Meu nome é Giulia Rodilossi, tenho 26 anos, nasci e cresci em Roma, na Itália. Adoro viajar e descobrir novas culturas e formas de me comunicar no mundo. É por isso que também escolhi fazer minha graduação em Publicidade e Marketing no Reino Unido. Trabalhei para muitas agências, organizações políticas e estúdios de entretenimento, assim como para start-ups em papéis completamente diferentes, dentro da área da comunicação. Agora, vivo em Roma e sou freelancer em gestão de marketing em redes sociais.

Quando era pequena, pensava que precisava ser a melhor em apenas uma coisa; quando cresci, percebi que, hoje em dia, meu maior trunfo são meus gostos variados e minha habilidade de mergulhar em diferentes assuntos e formas de pensar. É por isso que minhas experiências são extremamente variadas, tanto no plano pessoal quanto no profissional. Então, se você me perguntar o que mais me caracteriza, eu diria que é a minha natureza eclética. Acho que as melhores ideias surgem quando se tem uma mente aberta e uma grande variedade de fontes de inspiração e de atividades. Por isso, gosto de me ver como uma criadora, não simplesmente uma publicitária – algo que a eYeka entende muito bem. Também é por isso que tenho um orgulho especial do fato de que um dos concursos que venci aqui na eYeka era direcionado a homens da Arábia Saudita – deve ser uma das culturas mais diferentes daquela de que faço parte!

Você é membro da nossa comunidade desde maio de 2017 e já ganhou dois concursos! Parabéns!

Como você nos descobriu?

Encontrei a eYeka um dia em que estava à procura de oportunidades criativas on-line. Percebi que a criação em crowdsourcing era algo grande e comecei a olhar em várias plataformas. E a eYeka era a única que ainda uso com frequência diária. O que me atraiu na eYeka e faz com que eu continue participando é a simplicidade de uso, o fato de que a plataforma entende nosso valor de criadores e a variedade dos concursos propostos. Alguns são mais técnicos, outros reconhecem a importância da ideia geral e não ligam se a realização não é muito sofisticada. Isso permite que todos tenham uma chance de crescer em diferentes áreas, mesmo que não sejam aquelas em que normalmente trabalham. Por exemplo, agora sou finalista em um concurso de embalagem que também pediu uma mudança de marca. Apesar de me virar direitinho no Photoshop, não sou designer gráfica, mas tenho grande experiência em promoção estratégica de marca. Isto me deu a oportunidade de entrar no concurso sem muitas expectativas, para tentar algo diferente. Acho que é algo muito inteligente, pois o cliente pode escolher a ideia mais consistente e recorrer a um designer profissional para a execução. Afinal, de que adianta ter um design lindo se ele não traduz um conceito estratégico?

Você tem um processo criativo? Onde você procura sua inspiração?

Sou muito analítica, sempre crio listas com as características e as principais vantagens da marca e faço muita pesquisa antes de anotar qualquer ideia. Vejo fotos na internet, leio artigos, olho o trabalho anterior do cliente e confiro o que os concorrentes dele estão fazendo. Também amplio minha pesquisa se a marca puder ser usada de diferentes maneiras ou se for uma categoria que parece diferente, mas que, na verdade, tem semelhanças na forma como a marca aborda a comunicação. Com todo esse material em mãos, começo automaticamente a pensar em slogans que representam a marca e, então, tento trabalhá-los graficamente e ver até onde posso levar cada conceito. Se for engraçado, posso tornar absurdo? Se for emocionante, posso mostrar à pessoa menos emotiva que conheço para ver a reação dela? Se tiver que ser direto, posso explicar em 6 palavras? Dessa forma, começo a cortar uma ideia após a outra até chegar na melhor que consigo conceber e que corresponde a todos os pontos principais da pesquisa.

Quando você manda um projeto, como mantém a energia positiva quando ele é rejeitado ou não é selecionado como proposta vencedora?

Tenho que ser honesta: é dureza! Claro que ninguém gosta de perder, especialmente quando se trabalha muito, mas não sou muito boa em perder! Hahaha – Mas também não desisto fácil e sou bastante teimosa, então nunca paro de tentar. Procuro os vencedores desses concursos para tentar entender o que o cliente viu no projeto deles e não no meu – e tento me lembrar disso nos meus projetos seguintes. A beleza do conceito de crowdsourcing é que você pode se comparar aos outros participantes e compartilhar um retorno crítico e positivo. Isso permite que todos possamos crescer e, pessoalmente, me estimula a pensar e produzir mais.

O que você gostaria de realizar (ou já realizou) com os prêmios que vai ganhar/já ganhou?  

A melhor recompensa vem do fato de produzir algo que é apreciado por clientes de alto nível no mundo todo. Quanto ao dinheiro, é sempre algo bem-vindo! Meu plano é mantê-lo separado da minha renda profissional e fazer uma reserva. Não pretendo gastá-lo no futuro imediato. Quero ver quanto consigo ganhar e ter a felicidade de saber que ganhei isso trabalhando muito.

Se pudesse descrever a eYeka em 3 palavras, quais seriam?

Qualidade, coletividade e, claro, criatividade.

Para terminar, gostaria de compartilhar algo com nossos criadores?  

Desenvolver um senso criativo não é tão fácil quanto parece; exige uma mente aberta, muito foco e uma dose de coragem. O processo para chegar lá é diferente para cada um e é preciso tempo e esforço. Por isso, tente entender o que faz você ser um criador único e o que as suas soluções podem oferecer de diferente das dos outros. Experimente até as ideias que parecem meio loucas. Às vezes, são as melhores e, mesmo que não funcionem no final, elas estimulam a perseverar e a pensar de forma diferente. E, para terminar, seja confiante e tenha orgulho de suas habilidades, mas mantenha um olhar de aprendiz em tudo o que fizer.

Muito obrigada pelo seu tempo Giulia! Não podemos esperar para ver novas entradas suas!

Uma ótima temporada de férias para todos!

Join the conversation, leave a comment

EntrarCriar uma conta

Criador do mês de novembro - Alorsold

By Natasha Miller on 07 de Novembro de 2017, 00:00 Featured Authors 0

Olá, pessoal!

Espero que vocês estejam bem! Já acertamos os relógios no horário de inverno e, para começar este mês de novembro, propomos a vocês a história do Axel, conhecido pelo nome de Alorsold na eYeka

Para começar, poderia nos falar um pouco sobre você? Como você veio parar no mundo da criação? O que você faz fora da eYeka?

Desde pequeno, eu desenho, invento e encontro soluções. Sempre sonhei em ser inventor ou desenhista de HQ. E hoje, sou designer industrial e de produção. Isso é um bom meio-termo em termos de expressão visual e de criatividade. Fiz parte da minha carreira na Ásia e estou de volta à França como freelancer. Sou apaixonado pela minha profissão e acho que tenho sorte de acordar com um sorriso quando vou trabalhar. A essência da minha atividade é a inovação pelo uso. Assim, busco me aproximar ao máximo dos futuros consumidores, para compreender as necessidades deles. O que mais gosto nisso é que é extremamente enriquecedor, em termos humanos. O que busco é facilitar o cotidiano das pessoas e, ao mesmo tempo, trazer emoção até elas.

Você é membro da eYeka desde 2012. Poderia nos dizer o que o levou a entrar na comunidade?

Descobri a eYeka graças e um colega de mestrado na Strate (Paris). O que me motivou a participar foi, principalmente, a diversidade dos assuntos propostos. Tento conservar uma abordagem global em termos de criatividade e de mexer com tudo. Quando comecei a trabalhar, percebi a importância desses concursos. São bons treinos, tratam de assuntos concretos e me permitiram manter essa visão geral sobre os projetos. Além disso, gosto de desafios e a eYeka me permite ultrapassar minhas limitações para criar melhor.

Poderia nos falar do seu processo criativo para os concursos da eYeka? De onde você tira a sua inspiração?

Busco ultrapassar minhas limitações e, para isso, busco inspiração em muitas coisas: na internet, em exposições, em experiências pessoais, em viagens... Sou perfeccionista no trabalho e tento propor unicamente soluções que eu mesmo usaria ou compraria. Faço muito benchmark, para entender o mercado e imaginar uma forma simples de melhorar um produto ou um sistema.

Você se orgulha especialmente de um projetou de uma realização específica?

Tenho bastante orgulho do projeto Mountain Dew. É um projeto que sonho em realizar algum dia!

O que você conseguiu realizar ou atingir com as recompensas que ganhou?

Sou apaixonado por viagens e as recompensas me permitiram viajar mais longe. )

Como você descreveria a eYeka em uma frase?

Para mim, a eYeka é um motor que me permite desafiar a mim mesmo e valorizar o que sei fazer em diversas áreas.

O que você deseja acrescentar para terminar? Que conselhos daria aos novos criadores?

Não pensem apenas no aspecto de concurso. Levem a coisa como um treinamento pessoal. Tenham orgulho de cada proposta que fizerem. Criem melhor, criem emoção e inspirem-nos!

Obrigado, Alex! Tudo de bom para você e para a continuação da sua aventura na eYeka. Até o próximo concurso :)

Join the conversation, leave a comment

EntrarCriar uma conta

Criadores do mês: equipe m_borovaya, da Rússia

By Natasha Miller on 05 de Setembro de 2017, 09:57 Featured Authors 0

Olá, eYeka!

Vemos como é comum vocês encontrarem pessoas com quem têm afinidades para trabalhar juntos em concursos da eYeka. Às vezes, são equipes de 2 ou 3 pessoas, amigos, casais, colegas.

Neste mês, gostaríamos de apresentar a vocês uma equipe muito criativa da Rússia, conhecida pelo pseudônimo m_borovaya. São 11 pessoas! Todo um grupo de criadores que é uma verdadeira fonte de ideias novas e está sempre pronto para novos desafios criativos. Esse pessoal também representa o time nacional do KVN Kaliningrado. Neste verão, eles vieram visitar a eYeka em Paris, e finalmente conseguimos ver todos os membros da m_borovaya e encontrar os criadores.

Por favor, falem-nos um pouco mais de vocês – qual é a sua história? O que vocês fazem além das suas criações na eYeka? O que significa m_borovaya?

Olá a todos. Primeiro, m_borovaya é um coletivo, não uma pessoa. Somos um grupo de pessoas afins da região mais ocidental da Rússia – o Kaliningrado. Hoje, somos 11.

Não era assim no início. Quando nos inscrevemos na eYeka, éramos um pouco menos numerosos. Por sinal, foi a nossa amiga Maria Borovaya que nos inscreveu. Então, o nome da conta é em homenagem a ela.

Um ano depois, deixamos esta plataforma em razão daquilo com que estivemos envolvidos durante uma parte significativa das nossas vidas, o KVN (que podemos traduzir como Clube Feliz e Inventivo). É uma competição em larga escala entre muitas equipes de toda a antiga União Soviética e de outros países, no campo da comédia. É por causa desse compromisso que começamos a atividade de pensamento criativo.

Em 2016, depois de conseguir sucessos consideráveis no KVN, voltamos à eYeka para pôr em prática as nossas habilidades de pensar “fora da caixa” e de ter uma atitude positiva diante da vida.

Vocês são membros da eYeka desde 2014. Poderiam nos dizer por que decidiram entrar nesta plataforma?

Estávamos em busca de novas maneiras de colocar a nossa criatividade no mundo real. Quem nos mostrou o site da eYeka foi um amigo. Foi uma experiência incomum. Mas nos conquistou de um jeito que, agora, não temos nenhuma intenção de sair.

Poderiam compartilhar conosco o seu processo criativo para os concursos da eYeka? O que os inspira?

Todos os nossos pensamentos e processos criativos são baseados, acima de tudo, na vida. Tanto nos acontecimentos incríveis quanto nas situações da rotina. Tentamos sempre ver tudo isso de uma nova perspectiva, prestar atenção naqueles detalhes que geralmente passam despercebidos no cotidiano. Além disso, buscamos sempre nos aperfeiçoar. Estamos sempre lendo livros, artigos e nos comunicando com profissionais de diferentes setores. Tudo isso se traduz em uma abordagem pouco ortodoxa das tarefas e em métodos atípicos para encontrar soluções.

Vocês tem 416 propostas aceitas e 9 prêmios. Parabéns! Como vocês fazem? Como é o seu processo de trabalho?

“Certo, tem um novo concurso na eYeka! Todos leram o briefing, agora vamos conversar sobre ele” – é assim que abordamos cada novo concurso. Todos eles. Porque não escolhemos concursos individuais por uma razão ou outra. É um novo desafio. É outra forma de aprender algo novo numa área ou em outra, de aprender sobre pessoas que vivem em outros países e que usam produtos que, às vezes, nós nem encontramos por aqui.

Lemos o briefing, estudamos o tópico e, depois, aplicamos um dos nossos modos de pensamento coletivo que o KVN nos ensinou. É a tempestade de ideias. Cada um tem uma folha de papel com um tema (em geral, um tema = um concurso). Escrevemos tudo de interessante que nos vem à mente. Depois de um tempo combinado previamente, trocamos as folhas e, assim, os tópicos passam por todos nós.

Depois disso, discutimos as ideias e, se necessário, planejamos um número de sessões de tempestades de ideias. Aí, colocamos as ideias selecionadas em produção (escrita, desenho, produção de fotos ou vídeos).

Vocês têm um projeto preferido, do qual sentem um orgulho especial? Se for o caso, por que este em particular?

Ainda não temos um trabalho preferido na eYeka. Tentamos colocar todos os nossos esforços em cada um deles. Tanto na elaboração das ideias quanto na execução delas. Claro que poderíamos escolher um projeto que venceu um prêmio. Mas gostamos até de muitos que não chegaram a passar. Parece que os nossos trabalhos preferidos ainda estão por vir. Até porque, até agora, ainda não chegamos em primeiro lugar ;)

Quando vocês começaram a trabalhar como criadores?

Temos todos muita sorte de termos nascido com um grande potencial criativo. Só precisamos alimentá-lo e desenvolvê-lo ao longo de nossas vidas. Na nossa equipe, cada um é bom em algo. Um de nós faz vídeos, outro é ótimo em trabalhar com sons, tem um que cobre a área de fotografia e arte e outro que é bom em psicologia – cada um faz a sua parte. Porém, nenhum tem formação profissional nesses assuntos ou frequentou instituições educativas. Tudo vem da vida. Aprendemos constantemente sobre novas especialidades.

O que vocês conseguiram fazer ou realizar com os prêmios que venceram?

Até agora, a coisa mais legal que fizemos foi gastar o dinheiro do nosso prêmio em uma viagem fantástica a Paris. Teve um período em que ganhamos prêmios em vários concursos. E imediatamente decidimos, de forma unânime, gastar o que ganhássemos nessa viagem para o país, para a cidade onde fica a sede da eYeka, graças à qual tivemos a chance de ver esse lugar incrível.

Na verdade, é assim que planejamos gastar o dinheiro dos nossos prêmios – em viagens.

Se pudessem descrever a eYeka em 3 palavras, quais seriam?

Pensamos nisso por um tempo e chegamos à conclusão de que só precisamos de uma palavra: trampolim. Sim, em uma palavra, é um trampolim. Ainda assim, vemos a eYeka como algo em que é importante investir. É tudo uma questão de possibilidade. É uma chance. É uma forma de passar a um patamar superior e de levar o nosso profissionalismo, as nossas competências e os nossos conhecimentos a um nível mais alto. Foi graças a esse trampolim que novos horizontes se abriram para nós, que ganhamos conhecimentos valiosos e estabelecemos objetivos ambiciosos para nós mesmos.

Por fim, que conselho vocês dariam a novos criadores?

Primeiro, sem querer chover no molhado – não desistam. Conhecemos pessoas que experimentaram enviar trabalhos para a plataforma e, por não terem ganhado nada depois de um mês ou dois, saíram. Como dissemos, a eYeka é um trampolim. E essas pessoas se agarraram ao corrimão e desceram do trampolim, sem tentar passar a um patamar superior e alcançar novas alturas.

Para alcançar um nível superior, é preciso paciência e autoconfiança. A pessoa tem que desenvolver essas qualidades.

É uma competição – então aproveite. Apesar de haver pessoas com resultados melhores do que o seu, você pode aprender com os seus erros e, com isso, se desenvolver.

Finalmente, é um sonho. O sonho de fazer deste mundo um lugar melhor. Não importa qual é a sua profissão, que tipo de conhecimento você tem – use tudo pelo bem comum. Aí, você será feliz consigo mesmo. E vai começar a vencer mais concursos na eYeka ;)

Muito obrigado a toda a equipe por essa entrevista incrível! Desejamos a vocês muito sucesso em suas criações na eYeka, assim como em todas as áreas da sua vida criativa!

Boa sorte!

Join the conversation, leave a comment

EntrarCriar uma conta

“Com os prêmios da eYeka, eu consigo pagar as despesas do meu casamento!”, disse James Pickles, nosso Criador do Mês de agosto de 2017

By Natasha Miller on 01 de Agosto de 2017, 07:00 Featured Authors 0

Olá, galera da eYeka!

O verão está aí! E está na hora de se inspirar um pouco com o nosso Criador do Mês! Apresentamos a vocês um criador do Reino Unido, James Pickles ou jamesdesign, que entrou para a eYeka há menos de um ano, mas que já ganhou 4 prêmios! Curioso para saber como ele conseguiu? Vamos descobrir!

Oi, James! Pode nos falar um pouco sobre você e a sua história? O que você faz, alem das suas criações incríveis na eYeka? Tem algo divertido a nos contar sobre você?

Sou um designer gráfico de 40 anos, nascido no Reino Unido. Concluí a minha graduação e a minha especialização em design gráfico e comunicação há 20 anos. (Caramba, já faz tanto tempo?)

Atualmente, trabalho em casa como gestor em design gráfico para várias marcas de moda diferentes. Meu cotidiano envolve direção de arte de sessões de fotos, criação de revistas de moda e de publicidade impressa, assim como muito marketing direto e material promocional.

O que fez você se interessar por design e pelo mundo da criatividade? Você se inspirou em algo ou em alguém em especial?

Desde pequeno eu passo muito tempo desenhando, tanto personagens da TV quanto carros, sempre tinha um lápis na mão! Quando era criança, assistia religiosamente ao programa do Rolf Harris (um cartunista muito famoso aqui no Reino Unido). 

Hoje em dia, é muito decepcionante que tudo pareça feito pelo computador, parece não haver muito mercado para ilustrações feitas à mão. Adoro design e não gostaria de fazer outra coisa para viver. 

Pretendo “voltar para as minhas raízes” e pegar os lápis e os pincéis de novo, em algum momento posterior, viajar pelo mundo e pintar cenas em vários lugares.

Você só entrou para a comunidade em 2016, mas já contribuiu bastante! Poderia nos dizer como nos descobriu e por que decidiu juntar-se a nós?

Sim, sou membro da eYeka há menos de um ano, mas tenho o prazer de dizer que já ganhei 4 concursos (até agora!). Meu papel atual, no trabalho, pode ser limitador, pois é tudo focado na área de moda, e eu realmente queria me envolver em um trabalho de design gráfico para grandes marcas. Por isso, antes de decidir correr atrás de outro emprego que me permitisse fazer isso, pesquisei na internet para ver se podia encontrar um lugar onde liberar a minha criatividade. E tenho o prazer de dizer que encontrei a eYeka!

A eYeka é perfeita para mim, pois me permite continuar em um emprego que adoro, mas também me desafia, colocando-me diante de grandes marcas no meu tempo livre. (Além de que uma grana extra é sempre bem-vinda!)

 

Poderia compartilhar o seu processo criativo para os concursos da eYeka? Como você elabora uma grande ideia?

Meu processo envolve conferir o site da eYeka todo dia de manhã, enquanto tomo o meu café em casa. Busco ver se tem algum briefing novo para trabalhar, leio o briefing e depois penso no assunto ao longo do dia de trabalho… Vou anotando qualquer ideia, pensamento, slogan etc. no smartphone, fico com o briefing na cabeça pelo resto do dia e continuo anotando novas ideias no telefone. (Bendito seja o iPhone!) À noite, dou uma olhada nas notas e as transfiro para o Mac, tento trabalhar em uma forma de cativar o público, encontro uma solução para o problema, procuro palavras-chave no briefing para achar uma perspectiva ou um gancho.

Até agora, você teve 139 propostas aceitas e venceu 4 prêmios em apenas um ano! Como você faz isso? Poderia compartilhar alguma dica ou truque com os outros criadores?

Sim, sou membro há cerca de 9 meses e tenho o prazer de dizer que venci 4 concursos. Acho que ler o briefing e entender o “problema” da marca é a chave para responder ao briefing. A solução está sempre bem lá, no briefing. É só uma questão de dissecar o texto. Costumo olhar para o exato oposto de algumas das palavras-chave que encontro no briefing para achar a resposta. Ou seja, se encontro “claro”, vou explorar de que forma “escuro” é o exato oposto… explore as negativas para achar as positivas – se é que isso faz algum sentido! 

Você tem algum projeto favorito, do qual sente um orgulho especial? Se for o caso, qual seria?

Sim, a minha vitória mais recente é a minha favorita. Acho que a marca disse que o meu projeto vencedor “acertou na mosca”. Tinha um slogan perfeito para a marca e o visual/conceito era desafiador para o espectador se conectar com o produto.

O que você pôde fazer ou realizar com os prêmios que venceu?

Com os prêmios que venci, pude pagar algumas das parcelas do carro que tinha prometido para mim mesmo que compraria antes dos 40 (consegui comprá-lo aos 39!), um Porsche 987S 3.4. Além disso, recentemente, casei com a Samantha e a eYeka me permitiu pagar as despesas do meu casamento com a minha linda esposa!

Se você pudesse descrever a eYeka em 3 palavras, quais seriam?

Desafiador, viciante, inspirador

E, por fim, que conselhos você daria aos novos criadores?

Não tenham medo de pensar fora da caixa. Leiam o briefing e anotem QUALQUER ideia, mesmo que vocês pensem que elas não vão levar a uma solução – muitas vezes, elas levam!

Muito obrigado pela inspiração! Ficamos felizes em saber que somos, indiretamente, parte do seu carrão e do seu lindo casamento ;)

Você pode saber mais sobre o trabalho do James no site pessoal dele: https://www.behance.net/james_pickles

Até a próxima!

Join the conversation, leave a comment

EntrarCriar uma conta

Descobrindo os talentos da eYeka - creador de julho: Márcio Frois

By Natasha Miller on 03 de Julho de 2017, 08:46 Featured Authors 0

Olá eYeka!

Finalmente, chegou o sol de julho e está na hora de se inspirar com o novo criador do mês. Desta vez, gostaríamos de apresentar a vocês Marcio/mhfrois – um freelancer brasileiro que nos inspirou, principalmente, com suas ideias para os nossos concursos de mobilidade! Vamos conhecê-lo e saber mais sobre o que ele faz durante o tempo livre, suas fontes de inspiração e como ele conseguiu ter 256 propostas aceitas na eYeka!

https://eyekaen.uservoice.com/assets/122812627/MFrois_6.JPG

Olá, Marcio! Poderia nos falar um pouco sobre você? Qual é a sua história? O que você faz, além das suas criações incríveis na eYeka?

Desde criança, tenho uma imaginação muito fértil. Adorava ler quadrinhos, ver desenho animado e assistir à TV. Depois, andava pelo bairro, criando a minha própria história de herói, me divertindo até quando estava sozinho. De certa forma, eu era aquele menino do desenho “O fantástico mundo de Bob” hahahaha! Quando cresci, acabei fazendo carreira na área de publicidade. Trabalhei por 11 anos em uma instituição cultural da minha cidade. Daí, um amigo me convidou para ser seu parceiro na agência dele, onde fiquei por 2 anos. Atualmente, estou em uma empresa de tecnologia, mas continuo a atender os meus clientes como freelancer.

Faz pouco mais de um ano que você é membro da eYeka. Poderia nos dizer quando e por que decidiu entrar nesta plataforma?

Meu outro grande amigo budista, Alexandre Godoy, é membro da eYeka desde 2011. Ele trabalha com vídeos, mas não tinha muito tempo para dedicar à plataforma. Em 2016, ele teve a intuição de me chamar para participar de um concurso com ele e dividir o prêmio. Desde então, trabalho em uma grande agência de publicidade, com clientes multinacionais e jobs empolgantes. Eu realmente precisava resgatar a minha criatividade, pois nem sempre dá para trabalhar em casa. E participar dos concursos na eYeka me deu a possibilidade de deixar a imaginação fluir no limite, sem restrições exageradas.

Você poderia compartilhar o seu processo criativo nos concursos eYeka? O que te inspira?

No início, eu estava tão feliz que participava de todos os concursos. Depois de certo tempo, percebi que o ideal era selecionar os jobs com os quais eu mais me identificava e focar neles. Afinal, há muitas propostas por mês. Depois de escolher os concursos, salvo o briefing no telefone pelo GOOGLE KEEP e releio várias vezes, pois já fui desqualificado algumas vezes por falta de adequação com o briefing. Durante o dia, quando tenho uma ideia, abro o aplicativo e anoto. De noite, em casa. Faço um pouco de pesquisa na internet sobre a marca, seleciono umas fotos em bancos de imagens virtuais e procuro tecnologias que podem me ajudar a criar algo novo, no caso de projetos de ideias inovadoras. No fim, escrevo todas as ideias e seleciono uma ou mais, desenvolvendo o texto e respondendo às perguntas. Só depois é que começo a criar a parte visual.

https://eyekaen.uservoice.com/assets/122812591/MFrois_1.JPG

Em apenas um ano, você tem 256 propostas aceitas e 4 prêmios! Parabéns! Como você consegue? Qual é o seu processo de criação?

Muito obrigado!!! Sempre que recebo o e-mail dizendo “A SUA PROPOSTA FOI ACEITA”, sinto a minha energia no máximo, é incrível. Do que li sobre criatividade, é um processo não contínuo, que acontece gradualmente. Depois de ler o briefing, faço uma pesquisa sobre a marca e sobre as tecnologias, procuro as imagens na internet e depois deixo a ideia de lado por um tempo e, gradualmente, vou pensando em uma solução criativa. Eu me lembro do meu primeiro prêmio, “Vida estável e apaixonante”, em julho de 2016. Tive a ideia enquanto descansava depois do almoço, sentado em um banco. Foi como um flash, uma iluminação muito rápida. Claro que acontece de eu ficar muito empolgado com um job, de realmente achar que tenho chances de vencer e, no fim das contas, não dá em nada. Mas o importante é que também fico feliz quando outros participantes vencem. Adoro escolher as minhas campanhas no mural da comunidade. Há tantas pessoas incríveis participando desses concursos.

Não consigo evitar dizer que sempre que posso, envolvo a minha família no processo de criar para os concursos. Meu filho Júlio Campos, que tem 17 anos (foto), normalmente avalia o meu trabalho, sugerindo ideias e dando opiniões. No concurso para a VICKS VapoRub, a inspiração para a minha proposta veio da minha mãe, Dita Lages de Campos Fróis. Ela tem 77 anos (não tem imagem dela, pois ela não gosta que de sair em fotos!). A ideia foi uma luva de borracha na forma da marca VICKS, para passar a pomada sem deixar o produto entrar em contato com a pele. E é na casa da minha mãe que eu vou todo sábado à tarde criar projetos para a eYeka.

https://eyekaen.uservoice.com/assets/122812537/Julio_Frois_2_son_.jpg

Meus lindos sobrinhos Fernanda, de 9 anos, e Mariana Fróis Lages, de 7 anos (foto) e Felipe e Giovana Fróis foram as fontes de inspiração para a ideia de uma panela que cozinhava várias comidas diferentes ao mesmo tempo, para o concurso da TEFAL. Minha irmã mais nova, Valéria Fróis (foto), mãe dos dois anjinhos, sempre me ajuda com grandes ideias. Atualmente, ela e eu estamos concorrendo com uma proposta para o concurso NOVA EXPERIÊNCIA COM PERFUME. Vamos ver se a gente teve faro nessa história hahahahahaha! Acho interessante saber e entender como as pessoas de outras faixas etárias pensam em produtos e soluções. As crianças, geralmente, têm uma mente muito livre. Por isso, sempre que tenho a oportunidade, envolvo a família nas “chuvas de ideias”!

https://eyekaen.uservoice.com/assets/122812519/Fernanda-MF_-_Marina_3.JPG

Você tem um projeto preferido, do qual se sente especialmente orgulhoso? Se for o caso, por que esse?

Entre os trabalhos que fiz e não venci, gosto especialmente dos que criei para o concurso “CONEXÃO COM A NATUREZA”, que é um projeto imenso (e muito caro, eu imagino!) e muito criativo. Tive um grande prazer em desenvolvê-los. Outro é o “TRANSPORTE UNIVERSAL GRATUITO”, que é ao mesmo tempo muito futurista e muito realista, pois é uma solução para o transporte no futuro. Depois que o meu primeiro job para este concurso foi rejeitado, enviei um e-mail para o suporte da eYeka, perguntando se podia mandar outra proposta depois do prazo. E bingo! O moderador me deu mais 24 horas e eu consegui mandar uma proposta que foi aceita. Vencer é muito bom, mas também fico muito feliz quando faço algo inspirador, que recebe muitos votos dos membros. Ou quando venço o certificado de participação. Já mandei uma ideia para a eYeka, sugerindo que os jurados deem notas para os trabalhos que não vencem. Seria ótimo!

Quando você começou a sua vida de criador?

Desde pequeno, tenho uma facilidade incrível para brincar com as palavras e fazer trocadilhos. É quase um vício, algo que não consigo evitar. Com 12 anos, venci um concurso de marca, em homenagem ao aniversário de 40 anos da minha escola. Depois de ver O EXTERMINADOR DO FUTURO, com Arnold Schwarzenegger, comecei a escrever filmes de ficção e histórias diversas, por hobby. Até hoje, penso em escrever histórias! Com 23 anos, criei a marca dos 20 anos do curso de publicidade da minha universidade. Sempre que um sobrinho faz aniversário, crio um convite personalizado para a festa – eu adoro fazer isso. Gosto, especialmente, de desenvolver marcas. A marcar OFRB, em anexo, é do escritório de advocacia do meu irmão, Vinicius Fróis. O ícone representa uma aliança vista em perspectiva, simbolizando a união dos quatro parceiros. Tenho muito orgulho desta marca, que é simples e forte, além de ter sido feita para um cliente especial, da família. Para a minha irmã Valéria, adaptei o design da mascote do nosso time de futebol de coração, o CLUBE ATLÉTICO MINEIRO, para fazer um adesivo para a geladeira dela. Nos dias de jogo, nos reunimos para beber e ver uma nova vitória.

O que você conseguiu fazer ou realizar com os prêmios que ganhou?

Eu usei parte do dinheiro para comprar um novo notebook. Com o resto, fiz uma poupança. Em janeiro deste ano, ganhei 3 concursos entre o dia 3 e o dia 18. Foi uma grande surpresa, eu fiquei super feliz!

Meu parceiro Alexandre investiu o dinheiro em um quiosque de sucos naturais, além de guardar uma parte do dinheiro. A gente se encontra 2 vezes por mês para conversar sobre os briefings de concursos de vídeo, que são a especialidade dele.

Se você pudesse descrever a eYeka em 3 palavras, quais seriam?

Motivação, dopamina e fora-da-caixa.

Por fim, que conselho você daria aos novos criadores?

Primeiro, sugiro que vocês selecionem os concursos com os quais mais se identificam. Às vezes, tem um monte de concursos juntos, com o mesmo prazo, e pegar vários ao mesmo tempo pode perturbar a qualidade do processo de criação. Não escolha só pelo valor do preço, siga o seu coração.

Depois, deixe a mente aberta e liberte a imaginação. Elabore o seu próprio processo de criação, fazendo pesquisa e “chuva de ideias”. Busque inspiração nos lugares mais inusitados. A ideia que eu tive para o concurso dos BARBEADORES MANUAIS veio da observação da porta da empresa onde trabalho, que usa um sistema eletromagnético. Quanto percebi isso, tive o insight de criar um cabo de lâmina de barbear com um ímã que conectava a lâmina de forma rápida e prática.

Acredito que todas as pessoas têm um potencial criativo, mas que ele deve ser estimulado de alguma forma para se desenvolver. Pode ser com música, com leitura ou com grandes séries que falam sobre criatividade, como MACGYVER (a dos anos 80 e a atual) e MADMEN, que fala sobre a publicidade nos anos 50. Resumindo, a criatividade é só uma questão de foco na solução. Espero que isso ajude os novos criadores de alguma forma. Desejo a vocês boa sorte e uma “vida longa e próspera”, como diria o meu avatar, o Sr. Spock hahaha. Alohaaaaaaa!!!

https://eyekaen.uservoice.com/assets/122812549/MF_-_Marina_2.JPG

Muitíssimo obrigado por esse tempo que você passou compartilhando conosco a sua história incrível! Desejamos a você muita sorte em todos os futuros concursos da eYeka, assim como na vida criativa.

 

 

 

 

Join the conversation, leave a comment

EntrarCriar uma conta