Olá, pessoal da eYeka!

O primeiro mês de 2017 já passou! Muito rápido, não é mesmo? E aí, prontos para comemorar o calorzinho da primavera, que chega em breve na maior parte do mundo? (ou a estação mais fresquinha, para a Austrália e a Nova Zelândia :p). Antes da comemoração, queremos lhes apresentar um cavalheiro da França. Ele se chama Francis Prat ou boonkis na eYeka. Vamos aprender, com a experiência dele, como ele conseguiu vencer tantos concursos! Venha celebrar conosco o Criador do Mês de fevereiro de 2017!

Oi, Francis! Obrigado por nos dedicar um pouco do seu tempo hoje! Você pode começar falando um pouco de você. O que o trouxe para o mundo da criação? O que você faz fora da eYeka?

Estudei Turismo (mas passei a maior parte do meu tempo fazendo turismo nas Índias Ocidentais, no Canadá…). Depois disso, estudei Geografia, Cartografia e Planejamento Urbano para fazer estágios ou encontrar aventuras em lugares exóticos. No final, trabalhei em uma pequena empresa de consultoria em planejamento territorial em Nice (França), mas fiquei entediado no escritório, então trabalhei como construtor de casas (no Sul da França). Naquela época, trabalhava um pouco com design gráfico e criei minha primeira conta na eYeka: só fiz 1 ou 2 propostas… Estava muito ocupado com o trabalho, a fundação (para crianças de Kinshasa – Congo).

Atualmente, estou de volta à França, em Paris, onde estou fazendo algumas missões em design gráfico e participando de vários concursos da eYeka.

Quando e por que você entrou para a eYeka?

Em 2001, acho. Só criei uma conta, mas nunca I’ve just me envolvi muito. Cerca de 4 anos atrás, decidi viver na Colômbia, para me sustentar, criar um negócio. Trabalhei com um monte de gente e criamos uma agência de web! Mas tive que sair daquela equipe! Foi melhor assim. Eu também tinha um projeto de filme muito legal, mas ele naufragou por muitas razões. Eu estava sem dinheiro, sem visto, sem trabalho… e me lembrei da eYeka, comecei a participar de alguns concursos (estava a ponto de abandonar completamente o mundo do design gráfico).

Depois de 3 meses, ganhei €500. Não era nada, mas era o suficiente para viver por um mês em Medellín. Então, comecei a levar a coisa a sério. Ganhei um concurso que me permitiu conseguir um apartamento realmente legal, com uma varanda incrível. Fiquei lá por cerca de 2 anos e depois voltei para a França em junho de 2016. Estava com saudades da França.

Poderia compartilhar conosco o seu processo criativo para os concursos da eYeka? De onde você tira a sua inspiração?

Eu leio os concursos interessantes (mais de € 3.500 – que não sejam sobre problemas de mulheres…) Leio alguns e começo a pensar. Depois disso, tento sair para dar uma corrida ou me exercitar e tento continuar pensando para encontrar uma boa ideia. Depois, vou à internet para achar mais ideias… ou vou dar uma olhada em antigos concursos para me inspirar.

Até agora, você já enviou 278 propostas, das quais 196 foram aceitas, e venceu 12 prêmios… É enorme! Poderia nos dizer o que leva você a participar?

Acho que minha motivação é em 50% só para me manter ocupado. Gosto de participar porque temos que produzir um resultado profissional, mesmo sem fazermos parte de uma grande empresa. É mais atraente do que fazer uma logo para um amigo. Gosto da ideia de que ninguém te diz o que fazer, o que mudar, e de não ter que negociar a remuneração – é só dar o melhor de si e esperar que não escolham a pior das propostas… 

Tem algum projeto ou trabalho do qual você se orgulha mais?

O último que eu ganhei: novas fraldas para a China (nome, logo e embalagem), que vai pagar as fraldas do meu bebê, que está por vir!

Uau! Parabéns pelo bebê! O que você conseguiu fazer ou realizar com os prêmios que ganhou?

Consegui viver e viajar na Colômbia (Cuba, México…), fazer economias para o meu casamento (18 de fevereiro de 2017) e vou ganhar as fraldas do bebê…

Poderia nos dizer quais são as inspirações que o ajudam a elaborar ideias interessantes e criativas?

A principal inspiração vem da mistura de ideias e conceitos diferentes… nada é realmente novo; só precisamos remixar, adaptar, revolucionar as coisas que existem. Realmente acredito que o bom senso e a tradição são sempre uma boa fonte de inspiração… tornar a tradição mais tecnológica e conectar as pessoas, colocando-as cara a cara… Criar coisas que vão ser compartilhadas e fazer com que os humanos sejam menos selvagens.

 

Você poderia descrever a eYeka em uma frase curta?

Em 3 “palavras” : Mobilidade – Estímulo – Manteiga boa no pão

Gostaria de dizer algo para concluir? Que conselhos você daria aos novos criadores?

Para concluir, eYeka foi uma grande chance para mim nos últimos 3 anos, quando estava viajando… Vou continuar a enviar algumas propostas, mas preciso de um trabalho “normal” para viver em Paris… ou não! Ainda estou pensando em fazer coisas novas em lugares novos.

Conselho: façam! Não apenas para ganhar, mas também para aprender como trabalhar com briefings legais. E façam com seriedade, senão só vão perder tempo...

 

Muito obrigado, Francis! Esperamos que, depois do casamento e do bebê, você continue tendo tempo para brincar na eYeka, o maior playground criativo do mundo!

Um ótimo mês de fevereiro para todos!