Bom dia eYeka, 

Neste mês de Dezembro, te apresentamos Hervé Carton, um animador de estilo único, muito promissor e ativo que ganhou os concursos Shh... Share A Secret e Zest

Oi todo mundo, eu me chamo Hervé Carton, tenho 34 anos e moro perto de Paris. Há doze anos, comecei minha carreira de desenhador freelance. Faço principalmente ilustrações e animações. Vocês podem ver o que eu faço no meu blog e no meu canal do YouTube! Sempre fui apaixonado por cinema e desenho. Por isso, 12 anos atrás, decidi começar uma formação de animador 3D. Nesse momento, eu queria ser um artista "tradicional" e não sabia absolutamente nada de computadores e software de animação, composição e edição. Ainda lembro perfeitamente quando consegui desenhar meu primeiro quadrado no software 3Ds Max! 3D é uma técnica muito interessante mas requer muito trabalho antes de conseguir chegar ao que realmente me empolgava: fazer com que as coisas e objetos se movam e contar histórias. É difícil dominar e apreciar todos os aspectos (texturização, rigging, relatórios, etc.) para terminar um único projeto. Voltei muito naturalmente à animação tradicional, embora eu ainda ocasionalmente use a técnica de 3D em meus trabalhos.

Como você entrou no mundo das animações e criações? Quais são os artistas que te inspiram?

Moebius / Jean Giraud e Masamune Shirow são os nomes nos quais eu penso. Eu descobri-los quando eu tinha uns doze anos e acho que eu li os seus quadrinhos cerca de mil vezes desde então.

Como e quando você eYeka pela primeira vez?

Um amigo meu me apresentou a eYeka, há muitos anos. Ele já tinha participado de um concurso e ganhado. Depois disso, eu acho que só me lembrei dessa história em 2012. Isso foi quando eu decidi dar uma volta no site novamente - infelizmente, nessa época, estava com muito pouco trabalho e projetos e a eYeka me proporcionou exatamente o que eu estava procurando: projetos com prazos, briefings claros e a possibilidade de talvez ganhar um dinheiro. O suficiente para que eu queira fazer um filme com metas e prazos interessantes, que eu precisava terminar rapidamente.

Você pode descrever o seu processo de criação para um concurso eYeka?

Em geral, as idéias, muitas vezes muito vagas, vêm assim que eu leio o briefing. Então, eu o leio uma segunda vez. Eu quase instantaneamente sei se vou participar ou não: se as idéias chegam logo na minha cabeça, se eu começar a imaginar imagens ou definições ou qualquer outra indicação de que o concurso é bom para mim, então eu entro. Eu penso sobre as ideias e deixo-as crescer por um tempo, podem ser 30 minutos ou 6 dias, e então eu desenho um primeiro storyboard que vai ir se transformando quando eu tenho idéias novas. Assim que eu tiver toda a história em mente e no meu computador, eu começo a trabalhar na animação. Essa fase é a mais longa e a menos divertida (colorir todos os desenhos que fazem a animação). A parte final é os detalhes: sombras, iluminação dos personagens, decoração, adereços... Então, eu ligo o meu cérebro novamente, bastante cansado de muitos dias e noites de trabalho sem dormir. Depois é quando eu faço todas as alterações necessárias. Nesta fase, geralmente restam apenas um ou dois dias antes do concurso terminar. Então eu faço os sons, as últimas alterações, eu mando o vídeo para eYeka... e vou dormir um pouco, enfim...

Como a eYeka impactou sua vida?

eYeka teve claramente um impacto sobre a minha vida. Graças aos concursos, eu estou fazendo agora o que eu sempre quis: curtas.

Alguma outra mensagem?

Eu gostaria de agradecer Hadis, que gentilmente me mandou mensagens através da eYeka após os ataques de Paris. Eu nunca vou em redes sociais, mas devo admitir que a comunicação com pessoas muito agradáveis e amáveis que vêm de todo o mundo, é muito comovente em uma hora tão difícil.

E, claro, obrigado a toda a equipe eYeka e particularmente a Charlene que é sempre muito reativa e encorajadora.

 

Obrigada Hervé pela sua testemunha e lhe desejamos muito suceso com seus trabalhos!